ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    Cidades
    Com chuvas, Guaçuí intensifica prevenção da dengue A Vigilância Ambiental está intensificando seus trabalhos de prevenção da dengue, principalmente, com combate ao Aedes aegypti
    (Foto: Divulgação/PMG)
    Autor: Rádio Conexão.ES
    07 de Novembro de 2018 às 08h06

    A Prefeitura de Guaçuí, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e de seu setor de Vigilância Ambiental, intensificou seus trabalhos de prevenção da dengue, principalmente, com o combate ao mosquito Aedes Aegypti. O objetivo é que o município melhore ou pelo menos mantenha os índices conseguidos até agora, sem registrar a presença do vetor nas armadilhas que servem para monitoramento espalhadas pelo município.

    A gerente da Vigilância Ambiental, Tayaná Maria Alves Gonçalves, destaca que a equipe trabalha o ano inteiro no combate ao mosquito, realizando o tratamento de bueiros e fazendo a visita às residências e pontos estratégicos. Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde participa do Monitoramento Integrado M.I. Aedes, do Governo Federal, com a instalação de armadilhas MosquiTRAP. Estas armadilhas contêm um atraente sintético que serve para capturar fêmeas grávidas do Aedes aegypti e do Aedes Albopictus (o tigre aisático) que também é vetor da doença em países da Ásia e vem sendo estudado no Brasil.

    Atualmente, conforme informa Tayaná Gonçalves, Guaçuí possui 34 armadilhas instaladas, em vários bairros e localidades, como os distritos de São Tiago e São Miguel do Caparaó. Além de facilitar e tornar mais eficaz as atividades de monitoramento do mosquito e proporcionar melhores condições para o trabalho do agente de campo, as armadilhas visam oferecer índices de infestação durante todo o ano, com a produção de resultados semanais que são apresentados em mapas georreferenciados e fornecer informações que servem para elaboração de ações preventivas de controle do mosquito transmissor de tantas doenças.

    Se mosquitos da dengue são encontrados nas armadilhas, são tomadas providências imediatas. “A equipe percorre as armadilhas todas as segundas-feiras e, quando encontram alguma fêmea do Aedes, é feito um mutirão num raio de 250 metros em volta da armadilha, para a identificação de focos do mosquito, para não permitir a proliferação”, esclarece. “E se algum caso de doença é notificado, fazemos um bloqueio com a aplicação de produto em bomba costal”, completa. E independente de serem encontrados mosquitos ou não, os agentes de campo da Vigilância faz um trabalho de orientação dos moradores permanente em suas visitas.

    Contudo, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, até esta terça-feira as armadilhas instaladas em Guaçuí não haviam capturado fêmeas do Aedes aegypti. “Hoje (terça, 6), o pessoal está visitando as armadilhas, excepcionalmente, por causa da chuva de ontem (segunda, 5), e esperamos que o quadro permaneça sem a presença do vetor (mosquito)”, afirma. A equipe também faz o controle de pontos estratégicos que são propensos a acumular água, como ferros-velhos, borracharias e outros.

    Ela coloca que a prevenção depende muito da população. “A população precisa se conscientizar e ficar atenta para evitar os focos do mosquito”, enfatiza. É importante também lembrar que a limpeza dos terrenos baldios, sem construção, é de responsabilidade de seus proprietários.  

    Para o secretário municipal de Saúde, Márcio Clayton da Silva, o fato do município de Guaçuí não apresentar a presença dos vetores transmissores da dengue, zika e chikungunya é resultado do trabalho realizado pela equipe de Vigilância e também da conscientização da população. “Precisamos muito da colaboração da população, fazendo sua parte, para evitarmos o surgimento de focos do mosquito, principalmente com o início das chuvas, evitando o acúmulo de água e permitindo que o pessoal da Vigilância tenha acesso a suas residências para que façam o trabalho de prevenção”, destaca (veja abaixo como fazer sua parte e evitar os focos do mosquito).

    Além do combate ao Aedes aegypti, a coordenadora da Vigilância Ambiental, Tayaná Gonçalves destaca que o setor também realiza ações de prevenção do mosquito borrachudo no distrito de São Pedro de Rates. “Fazemos a aplicação de lavircida biológico no ribeirão para combater o borrachudo”, conta. E assim que as chuvas cessarem um pouco, ela adianta que será utilizado o carro fumacê para o combate ao pernilongo.

     

    Como evitar focos do mosquito

     

    - Mantenha a caixa d’água bem fechada e coloque também uma tela no ladrão da caixa d’água.

    - Mantenha bem tampados tonéis e baldes d’água.

    - Lave toda semana, com escova e sabão, tonéis e outros recipientes (como vasilhas de animais domésticos) que armazenam água.

    - Lave por dentro com escova e sabão, os utensílios usados para guardar água em casa.

    - Remova tudo que possa impedir da água correr pelas calhas dos telhados.

    - Não deixe a água da chuva acumular sobre as lajes.

    - Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas.

    - Se não colocar areia no pratinho dos vasos de plantas, lave-o com escova e sabão uma vez por semana.

    - Troque a água dos vasos de plantas aquáticas e lave-os com escova, água e sabão, uma vez por semana.

    - Jogue no lixo todo objeto que possa acumular água, como potes, latas e garrafas vazias.

    - Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada.

    - Feche bem os sacos de lixo e deixe-os longe do alcance de animais.

    - Mantenha terrenos baldios e quintais limpos e não deixe lixo e entulhos acumulados nestas áreas.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento da Rádio Conexão.