ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    COLUNISTAS Felipe Gobbi Vanini
    Artistas aqueles que salvaram o mundo
    Por Felipe Gobbi Vanini
    25 de Agosto de 2017 às 07h34

    Desde o começo dos tempos, as artes conquistaram o mundo, seja aquela interpretada em teatros, ou aquela pintada em galerias, ou mesmo as dançadas nos palcos. Tudo o que podemos fazer (e nos esforçar a fazermos) pode ser considerado arte. E este texto dedico aqueles que praticam as artes, os artistas.

    Os artistas perpetuam desde a antiguidade até hoje, mas, obviamente, as artes mudaram. E, atualmente, os artistas têm mais liberdade para expor suas opiniões, mesmo que sua arte sejam poemas, atuação, recitação, interpretação, pintura e outros. No mundo tem espaço para todas essas artes. E algumas delas que existem desde muito tempo são os poemas de Edgar Allan Poe, as obras de Picasso e as peças gregas, entre outros.

    As artes resplandecem a alma e fascinam a mente, além de mostrar que em nossa sociedade crítica onde as pessoas estão fascinadas por números e em aprender coisas que no futuro não serão muito usadas, é um alívio saber que as artes servem como um lazer para o jovem, ou até como carreira, e, para ajudar, várias plataformas estão dando suporte necessário, como jornais entre outros.

    Algo que deixa muitas pessoas tristes é a repreensão pelas artes, muitos pais e idosos, ao verem um jovem se dedicando às artes, falam coisas do tipo “pare de desenhar esses quadros e vai encontrar um emprego de verdade”. Isso é uma vergonha, pois mostra que a sociedade não está a fim de evoluir, e assim cometerá os mesmos erros, e nascerá uma sociedade teórica, sem emoções e seguidas pela racionalidade, sem a emoção.

    Então, é preciso valorizar e apoiar as artes em todas as suas formas, pois elas salvaram o mundo antigo, como na época do Renascimento, e acredito que salvará o nosso futuro que se encontra cercado por trevas chamadas corrupção e egoísmo. E para os artistas de todo o mundo deixo essa mensagem:

    As artes fazem o coração bater, a mente enriquecer e a alma espairecer, é o que dá vida aos sonhos, é o que vive dentro de nós, e depois repassamos para o mundo inteiro. Abandonar a arte é voltar à idade das trevas, mas conviver com ela é ir direto ao futuro ensolarado.

    Felipe Gobbi Vanini Felipe Gobbi Vanini tem 12 anos, mora em Vargem Alta e está no 7º ano do ensino fundamental. Ele é o escritor do livro "O Sonho de Rapidinho", que foi lançado em outubro de 2016.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento da Rádio Conexão.