A Marinha Brasileira. Felipe Gobbi Vanini - Rádio Conexão
ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    COLUNISTAS Felipe Gobbi Vanini
    A Marinha Brasileira
    Por Felipe Gobbi Vanini
    13 de Junho de 2018 às 07h34

    O mundo contemporâneo se formou na base de sangrentas guerras, e isso alterou o sistema da anatomia social básica, fazendo assim que os países ao redor do globo se armassem para um eventual conflito, mesmo esse pensamento muitas vezes sendo percebido só em poderosas superpotências bélicas onde seu arsenal é realmente extraordinário. A presença bélica está presente em quase todos os países, e uma das forças armadas mais importantes para uma nação é a sua marinha, e até mesmo o Brasil possui uma marinha, porém essa não chega nem aos pés de sua antiga Marinha Imperial.

    Como dito anteriormente, a presença de uma marinha forte é essencial para a soberania de uma nação, superpotências como os EUA tem seus enormes porta aviões em todos os cantos, ou até mesmo a Rússia com suas dezenas de submarinos nucleares entre outras potências. O Brasil apresenta em seu território uma das maiores costas marítimas dentre todos os países, todavia não temos uma marinha muito poderosa e nem tão eficiente que pode nos dar segurança no mar caso aconteça algum conflito, porém essa está sendo ao longo das décadas melhorada adquirindo novos navios no mercado internacional ou construindo, mesmo esse processo sendo lento podemos assegurar que se os projetos continuarem o Brasil terá uma boa esquadra, que irá dar segurança a população.

    Contudo teve um momento na história brasileira onde sua marinha realmente estava equilibrada, e foi no reinado de Dom Pedro II que a marinha brasileira que havia sido formada no início por mercenários se tornará a 4° maior potencia naval do planeta, contribuindo em grandes guerras como a Guerra do Paraguai, porém o Brasil tem o péssimo abito de não valorizar as coisas boas de sua nação e assim a marinha foi deixada de lado e aquela que foi uma marinha que colocava medo nos mares agora estava desarmada e ultrapassada.

    Entretanto, O Brasil ainda conta com a marinha mais poderosa da América do Sul, e deve isso aos ousados marinheiros que fizeram sua vida na base de barcos que se dedicaram mesmo sabendo do perigo, aos poucos o Brasil irá ressurgir como um país mais desenvolvido mesmo que esse pensamento pareça distante, o paciente passa pelo remédio amargo para no fim sair curado e o remédio amargo que o Brasil está passando é turbulento e se não resistir ele vai destruir antes de curar.

    Percebe-se, que a marinha de guerra é uma instituição de extrema importância, e que aprimorada ela pode colocar o Brasil em uma nova escala mundial, antes é preciso resolver outros problemas internos do país, todavia os mares novamente protegerão o Brasil, os ousados marinheiros ainda salvarão a pátria, e para os antigos marinheiros homens e mulheres que lutaram pelo Brasil, devem ser admirados, pois quando a aurora do novo mundo chegar as embarcações brasileiras levarão o fruto de um novo país forte, e igualitário.

     

    Felipe Gobbi Vanini Felipe Gobbi Vanini tem 12 anos, mora em Vargem Alta e está no 7º ano do ensino fundamental. Ele é o escritor do livro "O Sonho de Rapidinho", que foi lançado em outubro de 2016.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento da Rádio Conexão.