Consumo de alimentos no verão requer cuidados, orienta Vigilância Sanitária - Rádio Conexão
ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    Geral
    Consumo de alimentos no verão requer cuidados, orienta Vigilância Sanitária A temperatura ambiente desta temporada, que varia entre 36 e 37 graus, é favorável ao crescimento bacteriano
    (Foto: Divulgação)
    Autor: Rádio Conexão.ES
    29 de Janeiro de 2018 às 07h23

    Durante a temporada de verão, o consumo de alimentos – tanto dentro das residências, quanto nas ruas, principalmente – exige atenção redobrada, uma vez que, neste período do ano, são maiores os riscos de intoxicação alimentar ou, mesmo, de infecções.

    Nesse sentido, a Vigilância Sanitária de Cachoeiro de Itapemirim faz uma série de recomendações importantes a moradores e, também, turistas a passeio pela região sul do Espírito Santo. 

    “Ao se acentuar nesta estação, o clima tropical eleva e acelera o processo de deterioração dos alimentos. Aliado a isso, com a subida da temperatura, aumenta-se o fluxo de pessoas consumindo esses produtos. Uma combinação que, por vezes, pode se tornar perigosa”, alerta Denclair Escobar, coordenador de fiscalização sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). 

    É que, segundo ele, a temperatura ambiente desta temporada, que varia entre 36 e 37 graus, é favorável ao crescimento bacteriano. 

    “Por isso, é preciso evitar, nas praias e outros locais do tipo, a compra de alimentos expostos a esses ambientes, sobretudo os de origem animal, a exemplo do queijo coalho assado, queijo bolinha empanado, churrasquinho e picolé à base de leite. Esses itens possuem grande quantidade de nutrientes, podendo, facilmente, estragar mais rápido”, explica Escobar. 

    Camarões e ostras não são recomendáveis

    O coordenador aconselha a não consumir camarões fritos, aqueles comercializados em espetos por vendedores ambulantes, pelo fato de esses crustáceos já trazerem consigo a contaminação natural do mar e de ficarem em trânsito, sob o sol, por longo tempo, agravante este ainda pior.

    “É fundamental ter cautela, também, com as ostras, que não têm garantia de onde foram retiradas. Esses mariscos são verdadeiros filtros d’água, sendo, dessa forma, retentores de possíveis contaminações”, acrescenta ele.

    O que está liberado para consumo 

    Denclair Escobar esclarece que os produtos mais adequados ao consumo, nesta temporada, são os alimentos frescos (vegetais, frutas e milho, dentre outros itens), por deteriorarem mais lentamente. 

    “Bebam bastante água de coco, principalmente se a fruta for colhida direto do coqueiro. Além hidratar, a água de coco, quando gelada, resfria o corpo da temperatura ambiente. E a hidratação é essencial para o indivíduo não ficar vulnerável aos microrganismos”, salienta.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento da Rádio Conexão.